Confira como foi a Semana de Inovação e Tecnologia | Internet das Coisas

Em novembro, recebemos grandes profissionais da área de tecnologia para debater sobre transformações no mundo digital, internet das coisas, e muito mais.

Tecnologia da Informação
Confira como foi a Semana de Inovação e Tecnologia | Internet das Coisas 1
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

No final de novembro, a Faculdade Senac RJ e o Senac Botafogo receberam a primeira edição da Semana de Inovação e Tecnologia, evento criado para debater tendências nas áreas de TI e inovação, além de suas aplicações nos negócios visando o crescimento da empresarial e o reconhecimento dos seus clientes. Confira como foi o dia 29/11:

 

INTERNET DAS COISAS

Os projetos na área de Internet das Coisas vêm ganhando cada vez mais espaço no Brasil. A medida em que a tecnologia avança, novos modelos de negócio são criados e novas Startups se multiplicam nas mais diversas áreas do Comércio, Indústria, infraestrutura urbana e automação residencial.

Este assunto foi tema do painel “Internet das Coisas: desafios e oportunidades”, durante a primeira edição da Semana de Inovação e Tecnologia, realizado no dia 29/11. O debate foi conduzido pelo Perito em Computação Forense e Especialista de Produtos Educacionais de TI do Senac George Chaves e contou com a participação dos seguintes convidados:

 

  • Marcos Cavalcanti, Doutor em Informática e Coordenador do Centro de Referência em Inteligência Empresarial da COPPE/UFRJ;
  • Caio Mehlem, Engenheiro de Sistemas Embarcados e Diretor da Startup de Gestão de Energia GreenAnt;
  • Rafael Raoni, Doutor em Engenharia Química e CEO da Startup de coleta e monitoramento de dados Hazel Risk.

 

Realizado pelo Senac RJ, o evento aconteceu no auditório da Unidade Senac Botafogo no dia 29 de novembro e atraiu executivos, profissionais e estudantes de tecnologia.

Na abertura do evento, George Chaves abordou que a transformação digital das empresas passa por todo um ecossistema de inovação, que envolve a implantação de tecnologias modernas e uma profunda mudança de cultura organizacional, mas destacou o protagonismo da Internet das Coisas nesse processo.

“Quando penso em novos modelos de negócio, vejo uma imensidão de dados a serem tratados para geração de inteligência empresarial, vejo decisões sendo tomadas por máquinas e automação em larga escala. Ou seja, vejo Big Data e Inteligência Artificial, mas principalmente vejo a Internet das Coisas como o fio condutor de todo esse processo de inovação”

Marcos Cavalcanti, da COPPE/UFRJ destacou a importância da geração de valor com informações coletadas com a IoT. Para Marcos, quem entende o valor da informação gerada em larga escala, pode criar um novo modelo de negócios ou até mesmo, aumentar a receita em um serviço já consolidado.

Caio Mehlem, da Startup GreenAnt, destacou a importância de as empresas estarem sempre analisando o comportamento dos usuários: “Fizeram uma pesquisa e descobriram que um usuário de Smartphone que está com bateria abaixo de 15%, está propenso a pagar mais caro pelo serviço de transporte privado em um aplicativo. Pronto! O nível de consumo da bateria do seu aparelho pode aumentar a receita em milhões de dólares em uma empresa que coleta essas informações em larga escala e aumenta o preço do serviço conforme a sua necessidade de urgência.  Internet das Coisas sem Internet é só coisa”.

Rafael Raoni, CEO da Hazel Risk, apresentou o processo de criação de sua startup de Monitoramento de dados. A concepção de um projeto em Internet das Coisas converge com o próprio modelo de desenvolvimento de uma startup, partindo de uma ideia e criação de um protótipo até a implantação de um produto que permita crescimento escalável. Rafael Raoni alertou, porém, que se deve evitar desenvolver uma solução em IoT sem ter alguém disposto a colocá-la em produção e participar da construção do projeto. “Quando se tem alguém disposto a bancar o seu projeto, as chances de sucesso são muito maiores. Descobri que só quando tive uma empresa totalmente imersa em nossa solução, é que ela pôde ser comercializada. Antes, eu tinha apenas bons feedbacks, mas nenhum retorno.”

O evento atraiu empresários, profissionais e estudantes de tecnologia. No Painel de debates, os participantes interagiram com os convidados e discutiram modelos de implantação de Internet das Coisas.

 

Você também poderá gostar