Senac RJ se reconecta à sua missão: compartilhar conhecimento e transformar vidas

Em cinco meses, a nova administração do Senac RJ, sob o comando do Interventor Luiz Gastão Bittencourt, tem um salto significativo no número de entregas da instituição para a sociedade fluminense

Institucional
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Não precisou de muito tempo para a nova adminis­tração do Senac RJ mostrar a que veio. Em cinco meses à frente da instituição, Luiz Gastão Bittencourt, Interventor, e Ana Claudia Martins, Di­retora Regional, atingem os primeiros resultados em sua gestão. O Senac RJ, que estava afastado de sua missão institucional, agora vive uma realidade bem di­ferente e os resultados são visíveis para toda a socieda­de fluminense.

Para reverter o declínio e a perda de sua finalidade era necessária uma solu­ção diligente, como pontua Luiz Gastão Bittencourt: re­conexão. “Reconexão com a missão da instituição e, principalmente, com o Se­nac Nacional. E foi exatamente isso que fizemos. Em pouco tempo, resultados significativos são percebi­dos, não só nas entregas, no atingimento de nossos ob­jetivos, mas, especialmen­te, nas vidas que estamos transformando”, comenta.

“O Senac RJ foi leva­do irresponsavelmente ao descalabro, abandono este constatado não só pelos nossos alunos e parceiros, mas comprovado pelos nú­meros e pelas auditorias realizadas pelo Tribunal de Contas da União e pelo Conselho Fiscal do Senac (ver quadro “Principais aponta­mentos do Tribunal de Con­tas da União e do Conselho Fiscal do Senac)”, destaca Ana Claudia Martins, Di­retora Regional. Hoje, com a retomada de atividades essenciais à instituição e a realização de ações estraté­gicas, como parcerias firma­das com órgãos do Governo, o Senac RJ se reconecta com a sua missão.

Sem dúvida, uma das iniciativas mais represen­tativas foi a integração à Rede Nacional de Ensino a Distância Senac, em janei­ro deste ano. Hoje, o Senac RJ oferece 56 cursos entre Técnicos, Graduação e Pós-Graduação, o que permite que alunos de todo o Brasil tenham acesso à programa­ção do Senac na platafor­ma de ensino, mantendo a uniformidade operacional para atender a todos com a mesma qualidade. “So­mente no primeiro ciclo de entrada de novos alunos na modalidade EAD foram realizadas 610 matrículas. Para o segundo ciclo de no­vos alunos, previsto para agosto de 2018, estimamos ter cerca de 1.000 alunos e aumentaremos também a nossa capilaridade, com a criação de mais de 10 novos polos”, conta Ana Claudia, entusiasmada.

Outro passo importante nesse movimento de retoma­da da missão do Senac RJ foi a implantação do Modelo Pe­dagógico Senac praticado em todo o país, que qualifica a oferta de educação profissio­nal. Um aluno do Rio pode começar e concluir um curso em qualquer lugar do Brasil, aproveitando, assim, todas as ofertas da instituição.

Atento às necessidades e exigências do mercado de trabalho para manter sua oferta de profissionais qua­lificados, além de revisar e renovar constantemente seu portfólio, o Senac RJ aposta também na reali­zação dos Comitês Técni­cos Setoriais. Evento que reúne empresários, asso­ciações, sindicatos e espe­cialistas do setor do Co­mércio de Bens, Serviços e Turismo, que debatem, sob diferentes perspecti­vas, as demandas no mer­cado e a realidade do setor. A proposta é aproximar o Senac RJ do mercado, vi­sando alinhar seu portfó­lio e ações educacionais às necessidades de formação de profissionais especiali­zados e disputados pelas organizações. A primeira edição ocorreu em março deste ano, sob o tema Tu­rismo. E, no mês que vem, Moda estará em pauta.

A retomada do Banco de Oportunidades também merece destaque. Trata-se de um serviço gratuito e exclusivo, que conecta em­presários e profissionais formados pelo Senac RJ, contribuindo, assim, para suprir o déficit de pessoal nas empresas, além de ga­rantir a empregabilidade de alunos e egressos.

Também se destacam nesse cenário a retomada da produção pela Editora Senac RJ, por meio da pu­blicação de livros de auto­res que são referência no mercado editorial e de ma­terial didático para utiliza­ção nos cursos de Formação Profissional, e o projeto de reativação do Bistrô Senac, que pretende oferecer gas­tronomia de qualidade ao público e prática profissio­nal aos alunos, em um am­biente altamente prepara­do para “aprender fazendo”.

Leia também: Investimento em parcerias estratégicas

Principais apontamentos do Tribunal de Contas da União e do Conselho Fiscal do Senac

  • R$ 171 milhões gastos em publicidade, sem licitação.
  • Contratação de funcionários “fantasmas” e alguns “empresta­dos” para personalidades políticas.
  • Investimentos em projetos desconectados e sem foco com a missão da instituição.
  • Contratações realizadas sem o correto processo de licitação.
  • Repasses vultosos feitos à Fecomércio RJ sem as devidas compro­vações de destinação e prestação de contas.

 

Você também poderá gostar