As influências da cozinha italiana no Brasil

“A Itália é o país que criou as características básicas e peculiares da cozinha ocidental”

Gastronomia
Rascunho automático 7

“A Itália é o país que criou as características básicas e peculiares da cozinha ocidental”. A estudante de gastronomia Mariana Mastrocolo, que atualmente está no último ano, possui uma disciplina exclusiva sobre a cozinha italiana e afirma que a Itália é o país mais importante para a formação da gastronomia atual: “Essa importância aconteceu pelo intenso comércio de alimentos na região do império romano, centrado no mercado circular da cidade de Roma que fez transitar pelo local diversas caravanas recheadas de alimentos vindos de toda a Europa, África e Oriente: cereais, pão, vinho, azeitona, legumes e frutas secas e frescas, amêndoas, nozes, avelãs, pinhões, leite, que por meio do tráfico e do processo de escambo, tornaram esses alimentos tradicionais na nossa cozinha”.

Em relação ao preparo dos pratos, Mariana caracteriza: “Os italianos dispensam o preparo sofisticado, valorizam o sabor e o perfume natural dos ingredientes de suas terras, considerados alguns dos melhores da Europa e complementam com molho e tempero. À mesa, os melhores momentos são oferecidos pelas pastas (massas), peixes, frutos do mar e cortes especiais de carne. Estes pratos são preparados com azeite de oliva e recebem generosas doses de ervas frescas, como alecrim, estragão, salsa, sálvia, tomilho, manjerona, orégano, manjericão, e folhas de louro. São, também, amplamente utilizados na cozinha italiana: alho, cebola, atum, presunto, anchova, mussarela de búfala, tomate e alcaparra. Como complemento, estão presentes os pães e excelentes vinhos produzidos no país”.

A rica e variada culinária italiana, distinta nas várias regiões do país, influenciou a cozinha de praticamente todo o resto do mundo. No caso da culinária brasileira, por exemplo, a influencia ocorreu por meio da imigração italiana no período entre 1880 e 1930. Os imigrantes mesclavam os sabores e aromas da terra natal com os ingredientes oferecidos pela nova terra, juntando as receitas das diversas regiões da Itália as desenvolvendo nos almoços de domingo, que reuniam várias famílias, de diferentes regiões, no mesmo quintal. Atualmente, São Paulo concentra a maior comunidade italiana do país – 13 milhões de italianos e descendentes-, porém, até o público de outras nacionalidades já aderiu ao consumo das pizzas e massas.

Conheça alguns costumes italianos incorporados pelos brasileiros, segundo Mariana:

A berinjela: No Brasil não era um costume consumir grande variedade de frutas e verduras. Encontrando quintais com terrenos disponíveis, os italianos que optavam por viver nos centros urbanos formavam hortas onde cultivavam hortaliças e legumes não só para o consumo familiar, mas também para a venda. A berinjela, por exemplo, muito cultivada na Itália, ainda não era popular no Brasil. Com a vinda destes imigrantes, este alimento foi implementado na mesa da família brasileira.

Polenta e broa: O fubá era um ingrediente facilmente encontrado no Brasil, utilizados pelos nativos para fazer angu. Com isso, os italianos puderam manter o hábito de empregar este derivado do milho na fabricação de polenta e broas, fazendo com que os brasileiros passassem a ingerir – e gostar- destes novos alimentos.

Vinho: O vinho, outro ícone do costume alimentar italiano, já era conhecido no Brasil, porém a tradição de bebê-lo às refeições foi seguramente promovida e fortalecida pelos imigrantes.

Pão: O pão praticamente não entrava na dieta do brasileiro. Somente depois que os italianos se fixaram no meio urbano que começaram a surgir as padarias.

Molho de tomate: No Brasil, até o advento do molho de tomate, a massa era seca e consumida com os dedos.

Embutidos: Outros alimentos que migraram para o Brasil com os italianos foram os embutidos, como a tão apreciada mortadela – que surgiu na Itália há mais de dois mil anos, ainda durante o Império Romano – e o saboroso salame.

É de conhecimento geral, que é imensurável o valor cultural que esse povo agregou ao Brasil, principalmente na gastronomia. Para quem se interessa pela arte de cozinhar e gostaria de atuar na profissão sendo especialista na cozinha italiana, clique aqui e conheça o curso disponibilizado pelo Senac RJ: Cozinha Italiana.

Você também poderá gostar

Destaques

NINGUÉM FAZ O QUE A GENTE FAZ

Fomos criados e somos mantidos pelos empresários do Comércio de Bens, Serviços e Turismo para levar bem-estar social e educação profissional que transformam as pessoas e suas histórias. Um trabalho que há mais de 70 anos tem impacto como nenhum outro, por sua diversidade e alcance no Estado do Rio de Janeiro. Mais do que sobre números, falamos de resultados. Mas se você quiser conhecer os números, a gente também orgulho de mostrar. Aperte o play e saiba mais.