A influência das grandes joalherias para os pequenos empresários

Veja mais sobre o impacto de grandes marcas nos pequenos empreendedores

Design
A influência das grandes joalherias para os pequenos empresários
Share on FacebookTweet about this on TwitterShare on LinkedInShare on Google+Email this to someone

Datas comemorativas sempre exigem um presente especial. Algo que marque (ainda mais) aquele dia e que também seja simbólico. E existe uma coisa que sempre irá agradar a maioria das mulheres: joias. Podem ser de grife ou não, podem ser um par de brincos, uma pulseira, um anel ou um colar. Podem ser grandes e de brilhantes ou discretas e sem pedras. Podem ser o último modelo da marca ou uma opção tradicional. Pode vir dos pais, do namorado ou da amiga. Raramente se erra: joia é sempre um ótimo presente. Por isso, o mercado das joias está sempre em alta. Em datas comemorativas, especialmente, os lucros aumentam, mas as joalherias contam com uma boa taxa de retorno durante o ano todo.

Grifes como a Vivara, por exemplo, têm total liberdade para criar peças, arriscar em novas ideias, reformular peças tradicionais e até mesmo lançar uma peça do mesmo modelo de outra marca famosa, mas com seu estilo e característica registrada. Por exemplo, o famoso bracelete em que é possível ir adicionando pingentes de acordo com as viagens e os momentos marcantes de cada pessoa foi lançada no mercado originalmente pela Pandora, entretanto, a Vivara criou uma pulseira no mesmo modelo, mas com outro nome e pingentes diferentes, a Vivara Life.

Um dos diferenciais entre as pulseiras são os preços. A marca dinamarquesa, pioneira do projeto, oferece o produto por um custo maior. Pela Pandora, por exemplo, você pode escolher seu bracelete nas opções Prata de Lei, Ouro Maciço, Couro e até mesmo algodão. Já os pingentes podem ser de prata, ouro, vidro murano e madeira. Só o bracelete custa R$245 e cada pingente tem um preço médio de R$120, sem contar os adicionais, que incluem trava de segurança e separadores.

Por outro lado, empresas de menores portes, espalhadas pelo Brasil não oferecem produtos tão caros quanto as grifes, mas seguem as mesmas tendências e estilo das grandes joalherias. A empresa Stilo Semi Joias, por exemplo, criou a pulseira Dreams, que é totalmente inspirada no bracelete da Pandora e na Vivara Life. Ela é feita de aço e, em seguida, é banhada em prata ou ouro, variação não apresentada originalmente pelas grifes. Seus pingentes são mais baratos, custam em média $70. Empresas como essa buscam tendências fora do Brasil, mas distribuem para todo o País. Seus representantes viajam pelos Estados, fazem feiras e buscam maneiras de concorrer nesse mercado com empresas do mesmo porte. Há também empresas que fazem os produtos e vendem no “bruto”, como é chamada as peças vendidas sem banho de ouro ou prata pelos especialistas da área. É um setor que vem crescendo no mercado, pois foca no mercado popular.

Para criar essas joias, é necessário um design, que saiba como criar novas peças a partir de inspirações de grifes que mantêm uma linha tradicional de suas peças. O Senac RJ oferece sete cursos nesta área para a profissionalização.

Você também poderá gostar