Comissão Própria de Avaliação

 

Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Faculdade de Tecnologia Senac RJ é o órgão responsável pela coordenação da avaliação interna ou autoavaliação Institucional, uma das modalidades de Avaliação Institucional previstas pelo Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes).

Prevista no Art. 11 da Lei do SINAES (Lei Federal nº 10.861, de 14 de abril de 2004), a CPA compõe o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) e tem como atividades fundamentais:

  • conduzir os processos de avaliação interna da IES;
  • sistematizar e prestar informações solicitadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep).

A CPA é constituída por membros efetivos e membros eleitos, anualmente por seus pares, representativos do Corpo Docente, Discente e Técnico-administrativo.

Equipe responsável pela Gestão de 2018/2019

Coordenadora da CPA
Claudia Valéria Costa dos Santos Leite

Representante da Mantenedora
Carmen Valéria Souto de Araujo

Representante do Núcleo de Apoio ao Discente
Beatriz Lohraine Silveira de Macedo

Representante da Sociedade Civil Organizada
Paulo Roberto da Silva

Representante dos Coordenadores dos Cursos de Graduação
Johnny Edward Villavicencio Tafur

Representante do Corpo Discente Egresso
Eduardo Barros Gonçalves

Representante do Corpo Discente
Alciara Cristina Ferreira Marciel

Representante do Corpo Docente dos Cursos de Graduação
Marilia Ceccon Salarini da Rosa
E-mail: cpa.faculdade@rj.senac.br

 

Projeto de Autoavaliação Institucional

Relatório da Autoavaliação 2017

Relatório da Autoavaliação 2018

Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes)

 O Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes) tem como objetivo assegurar o processo nacional de avaliação das instituições de educação superior, dos cursos de graduação e do desempenho acadêmico de seus estudantes.

As finalidades do SINAES são:

– a melhoria da qualidade da educação superior;

– a orientação da expansão da sua oferta;

– o aumento permanente da sua eficácia institucional e efetividade acadêmica e social e;

– especialmente, a promoção do aprofundamento dos compromissos e responsabilidades sociais das instituições de educação superior, por meio da valorização de sua missão pública, da promoção dos valores democráticos, do respeito à diferença e à diversidade, da afirmação da autonomia e da identidade institucional.

Para isso, a Avaliação Institucional divide­se em duas modalidades:

Autoavaliação – Coordenada pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) de cada instituição e orientada pelas diretrizes e pelo roteiro da autoavaliação institucional da CONAES.

Avaliação externa – Realizada por comissões designadas pelo Inep, a avaliação externa tem como referência os padrões de qualidade para a educação superior expressos nos instrumentos de avaliação e os relatórios das autoavaliações. O processo de avaliação externa independente de sua abordagem e se orienta por uma visão multidimensional que busque integrar suas naturezas formativa e de regulação numa perspectiva de globalidade. Em seu conjunto, os processos avaliativos devem constituir um sistema que permita a integração das diversas dimensões da realidade avaliada, assegurando as coerências conceitual, epistemológica e prática, bem como o alcance dos objetivos dos diversos instrumentos e modalidades.